segunda-feira, 31 de dezembro de 2007

Bem, hoje é dia 31 de Dezembro de 2007... Well, today is 31!

Que direção você escolhe?


Vá, seja rápido! Não temos tempo! Vamos... o tempo é rápido! Tudo termina num instante! Exatamente o tempo que deveria durar.

Se eu fosse você, escolheria o Presente mesmo, intensamente vivido, sem mais!

Pois o Futuro depende de toooooodas nossas ações no Presente!

E que este novo ano 2008 seja repleto de coisas - emoções, amizades, felicidades, sorte, beijos, abraços, desentendimentos, aflições e ansiedades, despertares, chuva, sol, noites luminosas, dias assim iguais... no Presente mesmo! Pois vivamos o agora para que no Futuro não tenhamos do que arrepender...


Feliz 2008, pessoal...

domingo, 30 de dezembro de 2007

Our relantionships must last the necessary time to be remembered... For good times!


Observando bem os realcionamentos que assisto ao meu redor, cheguei a seguinte conclusão: "os relacionamentos devem durar exatamente o tempo de sermos lembrados pelo outro com carinho e na gostosa e doce saudade ..."

Nada me irrita mais do que ver pessoas reclamando da outra com quem vivem! Isso é o maior exemplo de falta de respeito que já vi! Estou chegando a uma outra conclusão: é por isso que governantes acabam tacando bomba por todos os lados e países, massacrando o povo porque não têm mais o que fazer em casa. Parece loucura, mas acho que o radicalismo das minhas palavras expressam exatamente o desamor nos casamentos e das relações "de amor". Entre aspas!

No Natal e festas de fim de ano, em geral, os ânimos beiram à loucura daquela festa dos tomates na Espanha, estendendo às relações de muitos anos. Respeito, nem por Jesus!

Aqui em casa as coisas não andam diferentes. Benazir certamente teria ido antes da festa de Natal se tivesse passado aqui em casa!

As canções de amor que ouvimos e os filmes a que assistimos falam dessa saudade gostosa e doce dos amores que se foram. Se tivessem ficado, não seriam boas canções. Infelizmente, tudo dura exatamente o tempo que deve durar. Assim são as flores, os frutos, os sentimentos, tudo que nos cerca.

Enfim, a natureza é sábia, põe fim a tudo. E o homem vive numa eterna busca pela eternidade. Sábias palavras de Vinícius sobre o amor: Que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure... Talvez os ânimos estivessem diferentes aqui em casa se levassem profundamente essas palavras lá pelos túneis da emoção!

Eu acredito que haja amor eterno! Ele é eterno quando o respeito o acompanha. Devemos ter compaixão pelas fraquezas humanas, pelos erros, pela velhice do companheiro ao invés de ficarmos evocando a todo momento aquilo que não foi bom. Se não foi bom pra você, então procure outro parceiro ou parceira. Acabe com isso. Porra! Não fiquem enchendo os ouvidos daqueles que ainda pensam na vida como algo alegre e do ponto de vista da felicidade. Sem síndrome de Pollyana...

Estou sendo dura, sim! Mas a vida não é dureza? Os relacionamentos são duros, mas se olharmos o céu no final das tardes de verão certamente que pensaríamos de outra forma. Eu acredito no amor, sim! Talvez seja por essa razão que sempre fiquei a ver navios... Meus interesses de amor não são os mesmos dos outros.

Onde está minha alma gêmea, meu Deus, meus anjos.... Envie-a para mim, please!

Jeff Buckley, esse aí em cima, vive cantando os amores que se foram com uma tristeza de dar dó! Tão lindinho e tão sozinho... Acho que era muiiiiiiito apaixonado e também não correspondido. Por isso sou realista: O amor deve durar o instante. E é só por hoje!

O Fabão, meu amigo Filósofo disse que eu sou muiiiiiito apaixonada também!

That's all, folks!!!

Quais seus desejos pra 2008?! Pense! Pensou? então leia...

A 4 Vozes
[4 Pretty singers and great black women!!!]
http://www.aquatrovozes.com.br/principal.html#

What are your wishes for 2008? Think it! Did you think? Then read...


"Desejos diferentes em 2008?"
"Different Wishes in 2008?"


Antes de alguma história, afinal ainda não aconteceu a queima de fogos, vamos falar de planos, de esperanças, de desejos para 2008!
[Before some history, after all the burned fireworks don't happen yet, let's go speak of plans, hopes, wishes for 2008!]
Pensando nisso, concluo que todo ano é igual e os desejos também se repetem muito.
[Thinking about, I conclude that every year is the same thing and the wishes happen again too.]
Aqui sentada em meu trabalho, pasme tô trabalhando..... Faço um desafio a mim mesmo: desejos diferentes.
[I'm sitting here in my work, amaze! I'm working.... And I do a challenge for myself: different wishes.]
Coisa difícil viu!
[It's a difficult thing, you know!]
Nem sei por onde começar.
[I don't kown through wich happen.]
Vamos lá então:
[Let's go there:]

Saúde – Um ar bom para respirar, um pulmão forte para limpar minhas impurezas e transformar meus suspiros em bons ventos.
[Health - A good air to breathe, a strong lungs to clear my impurities and to transforme my sighs in a good winds.]

Família – Bons dias sorridentes, um bom humor diário independente de qualquer outra coisa, sinal de amadurecimento, sinal de melhora, sinal de felicidade.

[Family -Smilling good days, a daily good humor whichever it may be the moment, I'll be maturing signal, improvements and happiness.]

Amigos – Sempre por perto mesmo que distantes. Sempre atentos, mesmo com aparência de desligados. Sempre dependentes mesmo que independentes.

[Friends - They are always nearer of us right far off. They are always aware, same with absent-minded appearance. They are always dependant same independant.]

Trabalho – Acordar e saber que ele estará lá e depende de mim antes de qualquer outro. [Work - To wake up and to know that it'll be there and it depends me...]

Dinheiro – Uma nota por vez... Sem grandes sonhos de querer ganhar muito, mas ter o suficiente.
[Money- A banknote at the time... Without great dreams to reach a lot, but to have enough.]
E o que mais se pode querer?
[And what more can I want?]
Ora, ora... [well.... well...]
Viajar, brincar, malhar, comprar, vender, subir, descer, engordar e emagrecer, sumir e reaparecer poderosa, esquecer e recordar com maior prazer, enfim nada diferente do que sempre...
[To travel, to intertain, to have a good time, to buy, to sell, to rise, to climb, to come down, to fatten and to make thin, to dissapear and appear powerfully, to forget and to remember with big pleasure, finally nothing new as always...]
! Nós humanos...
[! The human being...]
Quanta criatividade e quanta falta dela...
As much creativity as much lach of it...]

Por hoje só... It's only today...

Para amanhã talvez e para depois de amanhã, quem sabe... [For tomorrow is maybe and for after tomorrow is who knows...]

Um brinde especial aos próximos 365 dias! [ A special drink for near 365 days!]

Epa.... Ano bissexto............366 dias....
[Stop... Leap year......... 366 days!]

E durma com este barulho: um dia a mais para desejos, almejos, sonhos, realizações, frustrações, alegrias, tormentas, abraços e beijos.
[A hard nut to crack: we've got one extra to desire, to dream, to realize, to frustrate, to be happy, to suffer, to embrance and to kiss.]
Pra mim e pra vocês é tudo que desejo: nada igual tudo diferente, nada semelhante e tudo muito parecido!
[It' all I want and desire for me and for you: nothing new and all like one!
2008 vêm ai... [2008 is coming...]
Bem vindo!"
[W E L L C O M E !!!]
My Dear Friends,
Pardon me for my wrong English words!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Trip on the landscape...

Main entrance of Baroque Church


Ruelas barrocas de São João Del Rei... São João Del Rei Baroque Streets




Baroque Church in São João Del Rei, Minas Gerais...




Natural pools





My son Pedro at Tiradentes Falls, Minas Gerais...

Hoje o dia está particularmente lindo... fresco, mas o calorzinho dos dias de Dezembro já está presente. O post eu copiei de um amigo de New York...


"As the year ends I reflect about my life…the aspects particularly. For the years I have been living I could say that life is strange and the strangest things would come in the years to come…if my life is strange now how stranger could it get?The revelation of the world we live and breath in is beautiful…sometimes coupled with pain and mystery but most of the time it is vindicated by the awe we often get in exploring this world…And for this I have thoughts….for life…for people in our lives …for feelings … for change…for myself...
FOR LIFE…..
Life is strange…but all in all it’s good….…. it is ironic as well. As a kid I never was a fan of fairytales …and funny …just about when I am growing older I somehow entertain the thought that …well maybe fairytales do exists. We all have our own fairytales in life. Those which we least expect …and you wish some one would shake you off or rub your eyes to be sure all is not but a dream. The kinds that you wish it would really happen… probable but it is too good to be true.And as I see it could be viewed as a run… a long... long run and as it goes on…we see the world as it is …the faces of people we know and not know…the neighborhood that we are used to ....our comfort zones …. Some people run for a while but their runs are short because maybe they just run through their daily old routine…and so they get tired …. some people run a long run …tiring but rewarding… …and sometimes we want to get out of our circles and go beyond the route we used to have and we explore…for the wilderness….and it is rewarding….I have been running the long one to expect it to be rewarding….a good one
FOR FEELING GOOD…
It is always an amazing feeling to feel good about something…someone…someplace….it could be the redness and the roundness of an apple you are about to eat…the beauty of the sunset you just saw on a sea….the smoothness of the horse ride you are now having…For me I can always feel good about anything….the sight of the infinite horizon that tells me the answers to my queries….and a morning that I wake up and I see it... and in my head is all cleared up from all cobwebs …you know the once you want to clear…but you never have he chance to do soSometimes just thinking of nothing seems to make us feel good it unleashes all the pressures and tension of thinking too much...
FOR PEOPLE THAT COME IN OUR LIVES…
it is like writing a story or verses…in it we put words to form our stories…some words we put are unnecessary and it does not do any good in the story…some words maybe appropriate and it helps …but it makes the story too long….and sometimes boring…but there are some words which are meant to be there to make the heart of the story…like people some may be unnecessary…some may be necessary but not essential…and some make up the heart of our own story….
FOR CHANGE…
It may be for the good or for the bad but all in all it must always happen….Pante rei, ouden menei - everything goes by, nothing stays forever…it is necessary for the cycle of life to flow. It may be like the droplets of rain to end some cycles of life and give birth to new forms….or the change shift of a roller coaster ride… for if there isn’t any so then life would be boring….
FOR MYSELF…
As for me I am like a child this Christmas hoping for a long waited gift to be given….I long for the gift of enlightenment….that I seek…that all of presumptions be a given fact and not just a false theory or thought…I do not need an aid for my vision… for I now see…Like a giant in front of me…the one who has been sleeping but has awaken….I just need a rubber stamp or a rub in the eye to tell me that all of this goodness that the world brings is not but a dream….but a reality…My self is a hard person to know... even me sometimes does not understand her…she is stubborn…and a “Doubting Thomas”…skeptic…I think I need to open up for the coming year….
CONCLUSION
We are all just alone in this world who came from the womb …given the rational mind to think each of our own courses to travel…for a journey…to seize everything we have got in this life time…because time is too fast and yet there are so many things that we should do…
if we just take all of what we have for granted then before realizing the goodness of life it would be too late to appreciate and comes night….to dark to see….too late to work…to tired to think….as Salvaore Quasimodo had said:
'EVERYONE STANDS ALONE IN THE HEART OF THE EARTH

PIERCED BY A RAY OF SUNLIGHT

AND IT IS SUDDENLY NIGHT'....

Happy New Year...
…New Hopes…..New way to view the world and life…. "
I was visiting a friend's blog and then I took a decision to copy all post because I guessed so much beautiful words...
And I do this words at my one!

Quarteto Fantástico..

Mariana, Bruna, Laís e Pedro... A Terceira Geração da família Portugal...

(3th Portugal Family Generation)

sexta-feira, 21 de dezembro de 2007

Minha amiga de longe... muito longe...

Madê é uma amiga que conheci quando trabalhávamos na Brasília Modas lá pelos anos 80! Faz um tempão isso. Depois ela foi embora para Passos e de lá, caiu no mundo, foi parar na Dinamarca, na cidade de Varde! Louco isso, não!? Nessa foto ela está com sua filha Kimi, uma menina "meio brasileira meio dinamarquesa"...

Hoje lembrei-me de quando trabalhávamos juntas, em especial dos dias que antecediam o Natal... Depois de um dia todo de trabalho na loja e do movimento do Natal, saíamos pelos bares da cidade... bons tempos aqueles! Eram dias especiais! A Madê sempre foi muito animada e alegre. Sempre quando recordo nossos dias junto, vem em primeiro plano a sua alegria e a disposição para o trabalho... Boa amiga...bons tempos!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

"the good lovers are those bring us the happiness and luck"... Os bons amantes são os que nos trazem a felicidade e a sorte...

Estive pensando sobre essa nobres palavras da mais cara amiga que tenho - a Lenita!
(I'd thinking about these royal words of my noble and dear friend - Lenita!)

Ouvi isso em uma época de grande paixão - como sempre, não correspondida. Então eu me pergunto - por que sofrer por pessoas que não nos merecem ou apenas não nos elegeram como amantes?
(I listend this in a great passioned time - as always, it was corresponded. So I answer me - Why did we suffer for people that had deserve us ? or one didn't choose for lovers?)

Por que sofremos? Perguntas ao vento...
(Why do we suffer? Questions for the wind...)
I wrote this because my friend One Pic a Day's suffering. He is falling in love for Serafine, the wicked...

terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Sentados à beira do caminho... They sit on the edge of way...

There is a time in our lives they have to do choices... And when we are so young, it's more difficult yet. To be young is not easy! I am very sad today. My son doens't win in one of the tests for the College... This afternnon is a very sad one... It's raining now and the clouds are gray in my soul...
In my country there are not many opportunities...

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

"What you love defines who you are..." - the title of my blog...


I intend to write in English in my blog now. But this is not easy, my English is nearer to a child language... I'm laughing a lot... But I'm gonna try... The reason is my "new friend" of the coldwinter lands... I need to train much more one...

sábado, 15 de dezembro de 2007

Mais um Sagitariano ilustre! Niemeyer, 100 anos!

Oscar Niemeyer, ao fundo,Vinícius de Moraes e Tom Jobim... Grandes!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

Estrada do Sertão... música linda!!!

João Pernambuco e Hermínio Bello de Carvalho

Coisa que não arrenego
Nem tão pouco desapega
Ter gostado de você
Foi gostar desenchavido
Encruado e recolhido
De ninguém se aperceber


Matutando vou na estrada
Nos meus óios a passarada
Faz um ninho pra você
Juriti espreita triste
A jandaia não resiste
Chora junto por você


Nos teus óios faz clarão
É um verde, um azulão
Tiê sangue furta cor
Que me dá desassossego
Que me suga que nem morcego,
Mangando que é beija-flor


Não me encrespe a vida assim
Já me basta o que de mim essa vida caçoou
Não me faz essa graçola
De me abrir essa gaiola
Pra depois não me prender.


Canta firme juriti
Vê se entoa uma canção
Sabiá me roça aqui
Bem junto do meu coração
Pousa aqui meu colibri
Vê se tu tem pena d´eu
Quero ser teu bacuri
Quero ser de vóis meçê


Quanto mais me desfeiteia,
Me despreza, mais me arrasto pra você.

Eu amo este homem 2...

"... canta firme juriti
e me entoa uma canção
sabiá me roça aqui...
vem de junto ao coração
pousa aqui meu colibri
vê se tu tem pena deu
quero ser teu bacuri
quero ser de vosmecê..."

Estrada do Sertão...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Mais poemas...

As Mangas

Por muitos anos,
Nas férias de dezembro,
Quando as nuvens pesadas encobriam as cidades e todos nossos sonhos
De sair pelas estradas e pelos campos,
Tu vinhas como um cavaleiro errante
Sentavas diante da janela antiga da casa da minha avó.

Eu era Rapunzel.
Ficava na janela e com um muxoxo
Dizia: - Menino bobo!

Fechava uma das folhas da janela e escondia meus olhares atrás da outra.
Pela janela eu via a mangueira da casa do vizinho.
Eram rosadas entre os amarelados do quase doce.
Depois olhava seus olhos negros brilhando na esperança de me ver.

Minha tia disse-me que meu Marco Aurélio apaixonara-se por mim vendo uma fotografia em branco e preto.
Tinha meu olhar meio vesgo olhando os de minha irmã.
Hilário.
Na outra eu estava melhor.
Meus cabelos lisos, a pele muito morena do olhar sorridente de sempre.

Às vezes nos ousávamos.
Eu descia a escada rústica, abria o portão antigo de ferro.
Sentava no degrau e ele se aproximava desinibido.
Os seus olhos, o sorriso muito branco na pele morena azeitonada de outras terras.
Seus gestos despachados contavam as travessuras de roubar manga, goiabas, caçar rolinha, pomba do ar pra comer.

Em encontros ainda mais ousados,
Viajávamos pelas colônias da cidade na companhia do padre,
Que um dia virou meu tio.
Muitas vezes rompemos a poeira das estradas de terra na rural vermelha e branca do Dr. José.
Outros meninos nos acompanhavam,
Os irmãos, os colegas.
Nos cercavam,
Eu e minhas irmãs.
Diziam que éramos sulistas,
De sotaque arrastado...

Por várias férias
O namoro assediava.
Eu me recordo das mangas verdes roubadas,
Daquelas outras que eu namorava da janela no quintal do vizinho.
E ele abaixo sentado com os irmãos e os amigos.
As mangas verdes que apertavam a boca de leve
Suavemente surtiam na saliva sabores inexplicáveis.
Sabores que escondiam o desejo de uma quase adolescente
Que descobria o amor e o desejo
Que muitos outros tocaram.
Não meu cavaleiro errante,
Meu Marco Aurélio.

As histórias memoráveis dos amores impossíveis
Recordam-se na proibição dos anos que se foram.
A Cleópatra, as jóias falsas do porta-jóias com tampa de tamareira e o viajante no camelo,
O rímel que minha tia delineava meus olhares,
E o espelho torneado da penteadeira.
E você sempre lá,
Sentado, os irmãos, os amigos
E o sabor proibido das mangas verdes roubadas.

12/12/2007

domingo, 9 de dezembro de 2007

Mais um Sagitariano ilustre!

Este poema fez parte dos meus primeiros anos de Escola...


Meio-Dia
Meio-dia. Sol a pino.
Morre de manso o regato.
Na igreja repica o sino;
Cheiram as ervas do mato.

Na árvore canta a cigarra;
Há recreio nas escolas:
Tira-se numa algazarra,
A merenda das sacolas.

O lavrador pousa a enxada
No chão, descansa um momento,
E enxuga a fronte suada,
Contemplando o firmamento.

Nas casas ferve a panela
Sobre o fogão, nas cozinhas;
A mulher chega à janela,
Atira milho às galinhas.

Meio-dia! O sol escalda,
E brilha, em toda a pureza,
Nos campos cor de esmeralda,
E no céu cor de turquesa...

E a voz do sino, ecoando
Longe, de atalho em atalho,
Vai pelos campos, cantando
A Vida, a Luz, o Trabalho!

Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac (Rio de Janeiro, 16 de Dezembro de 1865 — Rio de Janeiro, 28 de Dezembro de 1918) foi um jornalista e poeta brasileiro, foi membro fundador da Academia Brasileira de Letras.

sábado, 8 de dezembro de 2007

É! chegou... 1964... Anos incríveis e quando tudo começava...

Tia Maria Sílvia, minha irmã Lúcia Amélia, Tia Tereza and *Me!!!
Hoje é 9 de Dezembro, meu aniversário! Nessa fotografia eu tinha 4 anos. Acho que continuo com a mesma alegria de antes, com os olhos vivos e o sorriso no rosto.
Para mim a vida, apesar dos 47 anos, continua colorida e a mesma de 43 anos atrás porque acredito nela e em toda a sua luminosidade. Ainda sinto os mesmos ares de quando morava na casa onde tirei essa foto. Lembro-me do cheiro da grama, da casa nova, do azul do céu, do friozinho de Abril quando já anunciava o inverno.
Hoje os tempos são outros! Quisera eu poder fazer voltar esses ares e tudo de bom que havia nessa época para colorir a cabecinha das crianças de hoje... Bons tempos, anos icríveis!
Feliz Aniversário, Lorene... Rs!

Sem comentários...

É um apena JB não estar mais aqui...
Assim como o José Maurílio, Leandro Xavier, Otto, Manoel Ferraz, Mário Marcos, Sérgio Pinatti... Juarez, Bob, Henrique... e outros tantos que fizeram parte da minha vida.

Estou prestes a fazer 47 anos e ainda tenho tanto tempo pela frente... Fico pensando em quantas coisas todos esses meninos levados, nos dois sentidos! - porque foram levados, viveram a vida intensamente e foram levados tão cedo da vida...rs! - estariam realizando hoje?! Cheios de vida e criações, inteligentes?!

Sinto saudades de cada um de uma maneira especial...foram tantos momentos divertidos e intensos que pude passar ao lado deles...

O Osmar, um outro amigo querido e vivo - graças a Deus! - disse que quando ficamos relembrando os mortos é porque já estamos envelhecendo.

Certamente que estou envelhecendo... meu filho já tem 20 anos, minha amigas mais que queridas - Berê e Ciça - já somam mais de 100 anos...rs!

Estou envelhecendo... às vezes sinto que tenho pouco tempo pela frentes, sinto até um certa ansiedade em realizar o meu trabalho, em colher novos frutos... Mas sei que vou conseguir ir mais além do que sonhei... Eu sei que terei força!
Amém!

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Homenagens...

I. O Infante


Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.
Deus quis que a terra fosse uma,
que o mar unisse, já não separasse.
Sagrou-te, e foste desvendando a espuma,

E a orla branca foi de ilha em continente,
Clareou, correndo, até o fim do mundo,
E viu-se a terra inteira, de repente,
Surgiu, redonda, do azul profundo.


Quem te sagrou criou-te português.
Do mar e nós em ti nos deu sinal.
Cumpriu-se o Mar, e o Império se desfez.
Senhor, falta cumprir Portugal!

in Mar português, Fernando Pessoa (a quem amo e venero!)

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

Dia 10... outro aniversário inesquecível... o de Clarice!


J.C. "— Por que você escreve?

C.L. "— Vou lhe responder com outra pergunta: — Por que você bebe água?

"J.C. "— Por que bebo água? Porque tenho sede."

C.L. "— Quer dizer que você bebe água para não morrer. Pois eu também: escrevo para me manter viva."

Dezembro...dezembro...dezembro...

Da
qui a uns
dias ou uma
questão de horas...
eu faço aniversário!
HOJE escrevo aqui só para
inaugurar o mês.Não tenho muito a dizer.
Há uma semana eu estava mais animada.
Pensava em decorar a casa para o Natal e outras coisas.
Ir a formaturas. Sair. Comemorar com os alunos. Comprar vestidos novos.
Daí a vontade passou.Tenho sono.Tenho cansaço.Sensação inútil dos meus dias de trabalho.
Medo do insucesso do meu filho no vestibular.Não sei. Parece que ele não conseguiu...
O duro vai ser ele descobrir novamente ao que veio neste mundo de meu Deus...rs!
Difíceis questões.Ter que virar gente.Até hoje, a sensação que tenho é que parei nesta mesma idade dele.Não descobri ao que vim.Até hoje!Não sei.
E também sei
tantas coisas.
Poderia ter feito
tantas outras
coisas...Hoje
falo do meu
aniversário.
Vou fazer 47 anos.
Não me assusta a idade.
Por que sei que estou viva e a idade não pesa em mim!?
Divagações.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

De cães, de amores e de pessoas...

Há uns meses A Sasha morreu. Era uma cachorrinha que eu tinha há 9 anos! Já falei sobre ela aqui nesse blog.
Nos primeiros dias sofri muito. Chorei. Senti saudades. E as saudades de Sasha continuam...
Nos primeiros dias, tinha ciúmes de mim mesma e da idéia de colocar outro cão no lugar de Sasha. Era maluco tal sentimento. Tinha ciúmes de colocar algo no lugar de quem amei tanto... Pessoas e animais são insubstituíveis! Como as pessoas, eles têm personalidade!

Sury é a minha mais recente amiga. Um pouco indefinida ainda. Estamos nos conhecendo. Ela aprendeu logo a minha voz, meu cheiro, os costumes da casa, os horários britânicos... Mas ainda não sei! Há algo estranho no ar! Talvez a necessidade de reencontrarmos aquilo que perdemos. Acho que é isso.

Adquirir cachorros, adotar mascotes é um bom exercício de convivência humana. Aprendendo a amar os cães, aprenderemos a compreender pessoas. E mais do que tudo, aprenderemos a perceber que pessoas, assim como os cães, tem personalidades e caracteres diferentes. São singulares.

O maior erro dos humanos é procurar colocar forma naquilo que por sí é sem forma, e vive para a evolução.

Por isso nos decepcionamos quando, terminado um relacionamento, enamoramos de outros e outras, procurando nessas resquícios do outro que já foi. Cada pessoa é única neste mundo, é erro nosso querer reatar através de outras pessoas, a convivência que nos foi tão cara e já não temos mais!

Por isso somos feitos, para aprender a evoluir. Quando nos prendemos, não vivemos. Quando recordamos, o primeiro passo é atribuir ao outro personalidades idênticas ao nosso pequeno círculo de amigo, amores e cães.

Agora eu sei! Quando recordo os relacionamentos que não deram certo, percebo que fiz justamente isso: senti ciúmes de mim de colocar outra pessoa no lugar de quem tanto amei.

Por isso precisamos do luto. Luto para quem nos deixou pela morte física ou pela morte espiritual do amor. E esse deve durar o período exato de não sentirmos mais esse "ciúme" estranho, que bem poderia ter outro nome. Eu não soube nomear esse sentimento. É um não querer colocar outro no lugar.

E ele persiste quando observo o olhar da minha pequenina Sury. Olhar indefinido, triste? Desconfiado? Enigmas...

domingo, 25 de novembro de 2007

Minha amiga global...Luna Negra!

El jardín de las morenas
(Pórtico)
El agua
toca su tambor
de plata.
Los árboles
tejen el viento
y las rosas lo tiñen
de perfume.
Una araña
inmensa hace a la Luna
estrella.

...oooOOOooo...
Frederico Garcia Lorca

sábado, 24 de novembro de 2007

Estou só e reconheço que o samba é bom quando ele é triste!



Depois das cervejas,
Sempre a tela e os fios óticos.
A cachorra que já passa pela cozinha
pára em frente ao microondas esperando o apito:
Bom Apetite!

Crianças aprendem logo!
Adultos esquecem.
E sofrem!
Colocam pessoas
e o mundo todo dentro de um pequeno círculo
e sonham suas músicas tristes.

Meninos mimados
sabem-se belos.
Caras,
bocas e um pouco de timidez para abstrair o encanto.


A manhã, sempre, depois da Lua,
levantarão melhores.
A ressaca,
o sol surgido,
as nuvens brancas e as montanhas.
A brisa suave que balança as cortinas
e a malemolência do sono.

Sonhar é bom.
Esconde a vida!
Leva pra longe o amor!

Seja educado... Deixe seu email... gosto de falar com as pessoas...


Mas inda mais com os cães...rs!




Circles and people...




Por isso os sofrimentos vieram, Bird... Não podemos segurar pessoas e a própria evolução do mundo em um círculo...rs!

Essas crianças egocêntricas...
rs!

E para vocês.... Jeff buckley!

Powered by eSnips.com

To be or not to be... aí depende!

Escreveram no meu blog dizendo que tenho que visitar e ser visitada...nem sei fazer isso! Rs...
Escreveram também que amar não é o suficiente para saber-se...
Não sei!
Escreveram que também que ela "é uma mulher de multiplas escolhas"...
Taí, ela definiu-se...
Quem diz que vc não sabe quem é?
É a mulher das múltiplas escolhas... Rs!
Talvez meu mundo seja pequenino, por isso sei-me!
Rs!
Dona Alda, Dona Alda...

Este é o único jeito de "virar pizza" e ser legal!


sábado, 17 de novembro de 2007

Happy Birthday to you...



"...and what do I want people to get from the music?

Whatever they want, you know...whatever you like."- Jeff Buckley

*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~*~

sexta-feira, 16 de novembro de 2007

You've got a mail...

Somewhere, over the rainbow, way up high.
There's a land that I heard of
Once in a lullaby.
Somewhere, over the rainbow, skies are blue.
And the dreams that you dare to dream
Really do come true.
Someday I'll wish upon a star and wake up where the clouds are far
Behind me.
Where troubles melt like lemon drops,
Away above the chimney tops.
That's where you'll find me.
Somewhere, over the rainbow,
bluebirds fly.
Birds fly over the rainbow,
Why then - oh, why can't I?
If happy little bluebirds fly beyond the rainbow,
Why, oh, why can't I?

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Versos de Lorca

Eu pronuncio teu nome
nas noites escuras,
quando vêm os astros
beberem na lua
e dormirem nas ramagens
das frondes ocultas.
E eu me sinto oco
de paixão e de música.
Louco relógio que canta
mortas horas antigas.
Eu pronuncio teu nome,
nesta noite escura,
e teu nome me soa
mais distante que nunca.
Mais distante que todas as estrelas
e mais dolente que a mansa chuva.
Amar-te-ei como então
alguma vez?
Que culpa tem meu coração?
Se a névoa se esfuma,
que outra paixão me espera?
Será tranqüila e pura?
Se meus dedos pudessem
desfolhar a lua!

Na Primavera a calmaria, tranquilidade, uma quimera/ Queria sempre essa alegria/ Viver sonhando, quem me dera....





segunda-feira, 12 de novembro de 2007

domingo, 11 de novembro de 2007

A resposta... eu já sabia...rs!

Corujão responde...


Ei (como diria um nato capixaba), Julieta!

Como nos afastam os espaços,quanto nos une o amor...Meu conserto é um desconserto, um desmanche de mim mesmo e fragmentos roubados de mim por mim mesmo....o tempo parece um lesmo de uma lesma rapidez ou passa um ano como se fosse um mês ou semana seja lá, seja aqui, seja ai, como for, parte de mim está sempre com você! Andei tentando rolar a pedra do tempo, sabe, para trás, recuperar, reviver, mas a chave, a alavanca quem sabe se é ou ficou para trás, então me perco no espaço dentro do tempo desolado querendo você, não posso querer, querer, o que é quem querer? Você aqui em meu peito, e no verde, na vida você aí, eu aí, dentro de você, nós dois sendo, sendo, indo, nesse carrossel de estações o nosso amor nunca findo, oculto até florir feito ipê... ´
Teu mundo, o cinza com o gosto do descanso,as pausas azuis e a grande sorte de sermos perseguidos pela felicidade que todos perseguem noutro mundo, ns buscamos palavras simples em textos desalinhados de arial ou verdana.
Às vezes somos paineiras numa república das bananas jogando sementes imensas no vento entre troncos espinhentos, sementes imensas que voam levadas por projetos de travesseiros que as folhas sonharam com as brisas e acordaram flores rosas e roxinhas como mergulhar em teu corpo e acordar sonhando que esse outro mundo, tão nosso, é eterno, terno, terno, sem espinho nem fogo no mato, pura clareira, mas ao redor encontramos pessoas e pessoas e aceitamos acordar de um sonho dentro de outro já não mais tão nosso como efeito de algum veneno shakespeareano emboticado para nos fazer poetas ascéticos mundanos de terra, ar, água e o fogo dos amantes.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

O Eterno e as frase feitas...rs!



Concerto da alegria

Sou o intervalo entre alguém e alguma coisa...
Eu deveria me chamar assim... E quando eu descanso do trabalho, vem a tremenda sensação de se não ter nada a fazer. Tudo isso é o máximo. É quando eu penso nas poesias que eu poderia escrever no caminho de volta do trabalho.

Hoje olhei o céu. As nuvens espessas, brancas, feito plumas brancas e levemente tingidas de cinza... mas aquele cinza que dá gosto, o gosto do descanso...talvez de um descaso. Era o cinza do nada, meio rosa! Se me entendem. Entremeados de pausas de azul, como se nos deixasse ver algo além do arco-íris, ou daquelas frases feitas de que tanto os adolescentes gostam de escrever em seus caderninhos de perguntas. Acho que lá está guardada a felicidade suprema. Eu ainda não criei asas reais, mas o meu efêmero me leva até essa tal felicidade que todos perseguem...
Não tenho casa, não tenho carro, tenho o meu sonho de carregar minha bolsa pesada, cheia de tantos poemas que ainda não li que comprei por aí em alguma livraria. Tenho mais experiência de escrever o observar da vida, sei que me faltam conteúdos, talvez palavras belas ou preciosas. No entanto, uma amiga de muito longe disse que consigo comunicar tanto sentimento nas minhas palavras simples. É isso, eu busco o simples. Deve ser estilo, o que aprumamos durante a vida toda para nos tornarmos eternos.
Hoje percebi que tentei não deixar minhas linhas aprumadas. Tenho aquela maninha quase “TOC” de deixar meus escritos todos ”justificados” nas margens... rs! Manias perfeccionistas, herdadas de mãe sofredora, de espírito aparado e inaceitável.
Viver é isso, aceitar o que encontramos.
E o que encontramos são pessoas e pessoas... e muito mais pessoas. A boa parte delas esqueceu a que vieram! Estranho?! Vida é vida! Não há outra explicação. E há tanto vida por aí, tanta beleza.... Um dia escrevi sobre a cidade e seus tons pastel deixados pelo inverno: “Se tivessem meus olhos saberiam...” De onde obtive tais olhos? De alguma outra vida essa mesma amiga me falou. Ela se enterneceu de meu sofrimento de Julieta...Ri um pouco e lembrei do poema:”o poeta é um fingidor...” A vida é isso, driblar os sentimentos no sentido de que eles, ou aqueles que não devem perdurar, nos esqueçam e nos mostrem o caminho do céu!
Hoje assisti novamente a Romeu e Julieta. Menos sofrido do que o outro dia, mas intenso! Vem-me a mesma sensação de ter vivido aquelas cenas. Não a mesma história, mas o lugar onde foi filmado.
No caminho de volta da escola, noite, o vento espesso e húmido das últimas chuvas, o ar frio que vinha do Norte me transcendeu uma época remota e quase pude ver onde vivi há muitos séculos. Tenho certeza de outras vidas e “quando penso em alguém”, como diz a música, “só penso em você”, meu caro! Não há mais nenhuma outra explicação cabível! Será sonho?

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Eterno... e terno... é-ter² no (= em + o: lugar?)



Tenho um amigo que não quer mais ser meu amigo que gosta da palavra TEMPO!
Diz que ainda vai escrever um livro sobre o tempo!
O tempo, para mim, é um vilão.

Gosto da palavra ETERNO...

E
...T
......E
.........R
.............N
..................O

É um palavra lilás!